Casa São Cristóvão, 1912-2012: um século de serviços sociais em Toronto

Aumentando a presença em Parkdale

À já vários anos que a Casa São Cristóvão servia os residentes de Parkdale, através de programas de emprego e de apoio doméstico. Em 2000, por sua própria iniciativa, a organização Parkdale Focus fundiu-se com a Casa São Cristóvão. A Parkdale Focus havia sido inaugurada nos anos 1980 como uma tentativa dos moradores do bairro para combater dependências e aumentar o bem-estar geral da comunidade. A fusão trouxe para a Casa o programa "New Hope Drop-in" para adultos, composto essencialmente por pessoas que viviam em quartos alugados em Parkdale. Trouxe também o Projeto de Ligação aos Pais da Comunidade, que contava com uma equipa de trabalhadores multiétnica que ia ao encontro de famílias recêm-chagadas com crianças pequenas e ofereciam a acompanhá-las até vários serviços, como o infantário, a escola, ou centros de saúde comunitários. No respeitante ao desenvolvimento comunitário, a Casa participou em vários processos de planeamento no bairro, incluíndo o demorado e intenso processo do grupo Resolução de Conflitos de Parkdale, onde inquilinos, senhorios, comerciantes, agências de serviços sociais e representantes do governo municipal trabalharam em conjunto para resolver o longo dilema das habitações "bachelorette" ilegais naquela área.

Colaborando com os investigadores académicos Richard Shillington, John Stapleton e J. David Hulchanski

A Casa São Cristóvão reconheceu a importância de trabalhar com centros de pesquisa e investigadores académicos de forma a que as comunidades desfavorecidas beneficiassem de ideas sociais relevantes em desenvolvimento nos centros de conhecimento avançado. Em 2002, o estatístico e especialista em políticas financeiras Richard Shillington colaborou com a Casa na realização de um estudo sobre as decisões financeiras pessoais dos idosos com baixos rendimentos e até que ponto estes tomavam proveito dos benefícios oferecidos pelo governo. O estudo concluíu que um vasto número de indivíduos não estavam a par dos seus benefícios e que baseavam as suas decisões financeiras em fraca informação. No seguimento deste estudo, o governo federal notificou todos os idosos com baixos rendimentos no Canadá acerca da sua admissibilidade a receber o Rendimento Suplementar Garantido (Guaranteed Income Supplement). O segundo projeto, em 2002-03, involveu o analista John Stapleton, que desenvolveu uma nova ferramenta de proteção financeira mais apropriada para a pessoas com baixos rendimentos. O estudo propôs um Plano de Desenvolvimento de Poupança Registado (Registered Development Savings Plan) em alternativa aos tradicionais RRSPs.

Toronto é uma cidade de bairros com diferentes ciclos de vida. Durante a década de 2000, as mudanças na área onde a Casa se encontrava eram evidentes. Pessoas mais afluentes começaram a instalar-se no bairro, atraídos pelos largos condomínios na King Street. De forma a estudar estas transformações, a Casa colaborou com o Centro de Estudos Urbanos e Comunitários de Universidade de Toronto, e com o Professor J. David Hulchanski. Juntos embarcaram num projeto de investigação  comunitário durante cinco anos acerca da gentrificação local e as várias formas de construír e manter uma comunidade acolhedora. Este estudo resultou na publicação em 2007 do relatório The Three Cities Within Toronto: Income Polarization Among Toronto’s Neighbourhoods, 1970 – 2000. Uma versão atualizada com informação retirada dos Census do Canadá de 2006 foi publicada em 2010.

Modernizando Estratégias de Rendimento para Adultos em Idade de Trabalho e Advocacia e Resolução de Problemas Financeiros

A estratégia multifacetada de combate à pobreza assumida pela Casa São Cristóvão incluía serviços diversificados para pessoas a viver em pobreza, incluíndo o desenvolvimento de políticas de segurança de rendimentos. Vários programas financeiros dedicados a indivíduos com baixos rendimentos foram criados pela Casa nos anos 2000. O  programa de Advocacia e Resolução de Problemas Financeiros (Financial  Advocacy and Problem  Solving), que iniçiou em 2002, surgiu da experiência com um projeto anterior chamado "Parking Banking Project". No promeiro ano, as suas clínicas de preenchimento de declarações de impostos pessoais, assistiram 305 indivíduos com vários problemas financeiros, resultantes de informações incorretas, burlas, inacessibilidade de serviços financeiros, e das dificuldades associadas com a gestão de rendimentos baixos. Em 2004, o seu serviço de preenchimento de declarações de impostos resultou num total estimado acima de 1 milhão de dólares em reembolsos e créditos fiscais para os bolsos de indivíduos com rendimentos baixos no bairro.

Em 2004, outra iniciativa foi introduzida, o programa Modernizando Estratégias de Rendimento para Adultos em Idade de Trabalho (Modernizing Income Strategies for Working-Age Adults). Esta iniciativa envolveu diversos parceiros, reunindo líderes de opinão do setor empresarial da comunidade, juntamente com uma vasta gama de especialistas em políticas governamentais dos maiores "think tanks" do Canadá, e diversos indivíduos com baixos rendimentos. O seu objetivo era criar e testar estratégias práticas para melhorar os programas de segurança aos rendimentos e políticas governamentais associadas.

Teatro de Ação por Séniores pela Saúde (H.A.T.S.)

O Teatro de Ação por Séniores pela Saúde (Health Action Theatre by Seniors - H.A.T.S.), surgiu do projeto de prevenção ao abuso dos idosos. A equipa desse programa apercebeu-se de que o ensino baseado em materias textuais, ou aprendizagem passiva, não oferecia bons resultados, especialmente junto dos séniores com poucos conhecimentos de Inglês ou pouca literacia. Os assistentes da Casa aperceberam-se da necessidade de comunicar através de formas que transcendêcem barreiras línguisticas. Em 1997, um grupo de idosos e assistentes comunitários da Casa São Cristóvão participaram num grupo de trabalho de três dias, organizado por Warren Linds, que utilizava o teatro para focar questões de saúde na Colômbia Britânica. Linds inspirava-se no trabalho do encenador brazileiro, Augusto Boal, autor do influente Teatro dos Oprimidos, que entendia o teatro partcipatório com uma ferramente eficaz para desenvolver ações sociais. Baseado na metodologia de Boal, a Casa começou o seu Teatro de Ação. Em 2000, o grupo recebeu um prémio da Innovation SHARE. O dinheiro desse prémio permitiu ao Teatro de Ação desenvolver-se e a oferecer treino dramático a grupos de séniores de várias nacionalidades. O Teatro de Ação chegou a atuar para estudantes de medicina em Toronto, Hamilton e Filadélfia. Através da encenação dramática, o Teatro de Ação por Séniors disseminou informação sobre várias questões de saúde relacionadas com os idosos e encorajou o público a dialogar e participar em ações cívicas para o aumento de serviços médicos apropriados.

← Previous Page Next Page →